segunda-feira, 1 de setembro de 2014

TRECHO DO LIVRO: A GAROTA DE GREENWICH


“O sol respinga para dentro do quarto com raios transbordados de cor clara e branca. Puxo o lençol para baixo a fim de levantar, mas quando dou-me conta de que é sábado, fecho os olhos e adormeço mais alguns minutos. Devo ter dormido algumas boas horas, mas o sono parece imenso dentro de mim. Estou cansada intelectualmente. Estou frígida feito um tomate seco. Quando me levanto está fresco, então cubro-me com uma roupa comprida e me arrasto até a cozinha.
Meu pai já se apoderou dos cuidados com a jardinagem, e aproveito que ele não me vê para tomar leite do gargalo e engolir uma fatia com requeijão novo comprado naquela semana. Tomo mais um copo cheio de água, escovo meus dentes com força e volto para arrumar meu quarto. Arranco os lençóis e a fronha do travesseiro para lavar, e embalo meu pouco melhor humor para colocar logo outro. Jogo meus bichos de pelúcia por cima e tiro tudo que há de excesso sobre minha escrivaninha.
[...]Me deito no sofá preguiçosamente, e quando começo a me distrair roendo a unha que lascou na estante, meu telefone toca. Pulo do sofá e atendo no segundo toque. É um número desconhecido.
-Alô?- e coloco o dedo de novo na boca.
-Alô, Roberta?
Meu Deus. Conheço aquela voz. Praticamente grito.
-JACQUES? Como conseguiu meu número?
Oh, Meu Deus. Preciso me dirigir à área para meu pai não ficar aflito com o tom de voz que usei.
-Shhh- ele ri. - Não grite.
Aquele sorriso pelo telefone pode ter um reflexo muito depreciativo em mim. Grudo na parede da área.
-Nada de fazer Shh para mim- retruco. –Por que está me ligando?
E mais: Como conseguiu meu número?
Ele não se altera. Tem a voz muito firme. – Porque te achei divertida, engraçada e linda. E preciso ver se você está bem depois que saiu correndo feito uma louca ontem à noite. Serve?
Eu deveria dizer que sim, pois estou desmaiando de emoção. Ninguém nunca disse isso para mim, e ninguém nunca se preocupou assim comigo. Mas também preciso manter a compostura. E digo:
-Não.
Ele ri de novo. E tem que parar de fazer isso. É muito sensual.
-Como conseguiu meu número?- protesto.
-Isso não é a coisa mais difícil do mundo, Roberta. Se você insiste em não me dar, eu dou um jeito sozinho de conseguir. Por que você fugiu? Por que não me ligou?
Ele estava me bombardeando demais. O que eu ia fazer ligando para ele?
-Não temos nada para conversar, já disse.
-Ah. Temos sim.
O tom ameaçador com que diz isso me inebria. Jacques é lindo, educado e malévolo ao mesmo tempo. Não sei como alguém pode ser normal sendo assim.
-Jacques- tento me controlar, mas está difícil. – Por favor, não faça isso. Realmente que não somos compatíveis. Não percebeu isso ontem?
Nunca fomos.
-Compatíveis?- ele ri como se eu tivesse falado alguma coisa muito absurda. Mordo os dentes de raiva. – Não precisamos ser compatíveis, Roberta. Só quero que aceite conversar comigo, uma vez sem fugir. Eu não vou te morder.
Fico rubra de novo. Jacques me morder? E me lembro que já tivemos essa assunto.
-Já não estamos conversando?- disparo, lembrando-me de nossa primeira vez no refeitório.
-Estamos. Por telefone. E isso não vale. Tem que ser cara a cara. Por que está fugindo?
Não estou fugindo, só vendo a obviedade, grito para mim ao invés de para ele.
-Não quero nada com você, Jacques. Ainda não percebeu?
-Tenho uma surpresa para você.
O quê? – Não quero surpresas. Já disse que não temos nada a ver, e se ainda não entende, não gostei de você!- minto e grito, e essa é a última coisa que digo antes de desligar.
Que merda! Volto para a sala e atiro o telefone com raiva no sofá. Jacques realmente tem o dom de estragar o dia de uma pessoa. Estou furiosa, e rasgo a unha sem pensar. Quando estou me culpando pelo que fiz ela já está sangrando, e corro para o banheiro para limpar minha dor. Passo a chave na porta e aproveito para lavar meu rosto de novo. Não, por favor, repito para mim. Diga que isso não aconteceu.”
 
O que acharam?  Curiosos para mais?
 
Beijos,
Vanessa Preuss

3 comentários:

Anônimo disse...

Vanessa, você é incrível. Estou inspirado por ti a dar vida a meu livro também... <3

Ems disse...

Muito legal, Vanessa :)

Vai ser sucesso, pode apostar o/

Vanessa Preuss disse...

Que queridos!! Muito obrigada pelo carinho!
Podem ter certeza que me dedico ao máximo ao que faço, e que virá mais!
Um beijo!